Dicas e Curiosidades Elétricas




Curiosidades Elétricas

A eletricidade foi descoberta a cerca de 2500 anos atrás, através de observações do cientista grego, Thales de Mileto, que observou que um pedaço de âmbar (resina fossilizada de árvore) atraia palha ou penas, quando esfregado com um pano. A palavra "eletricidade" é originada da palavra grega para âmbar "elektron". Thales de Mileto também é conhecido como o pai da filosofia.

A palavra “Elétrica” foi cunhada pela primeira vez pelo médico da Rainha Elizabeth I, Doutor William Gilbert, em 1600. Ele percebeu em seus experimentos que materiais como o vidro, diamante e a cera, produzem o mesmo efeito que o âmbar.

No século 18, o Conde Alessandro Volta inventou a primeira bateria e o batizou de "pilha voltaica". Este consistia em uma pilha de zinco com discos de prata ou cobre separados por almofadas umedecidas com uma solução ácida. A unidade de medida elétrica "volt", é chamada assim em homenagem ao Conde Volta.

Na década de 1860, o engenheiro francês George Leclanché desenvolveu uma bateria que não usava a solução ácida em seu interior. Essa pilha é conhecida como pilha de Leclanché ou pilha seca ou pilha comum. As pilhas atuais que usamos em nossos equipamentos eletrônicos são baseados no design do Leclanché.

Todos os anos milhares de pessoas são eletrocutadas, mas são poucas as que morrem por essa causa. Em vez disso, muitas pessoas morrem queimadas por causa de sobrecarga em sistemas elétricos, mais precisamente, 10 mil pessoas todos os anos. Não sobrecarregue as tomadas e limite o uso de extensões, utilize-os apenas temporariamente para evitar acidentes.

Leia Mais no SitedeCuriosidades.com




Por que as Lâmpadas incandescentes deixaram de ser produzidas no Brasil?

No dia 30 de junho de 2012, o Ministério de Minas e Energia divulgou que as lâmpadas incandescentes deixaram de ser produzidas no Brasil. A medida foi adotada com o objetivo de reduzir a quantidade dessas lâmpadas no país e incentivar a produção e comercialização de lâmpadas mais eficientes, como as fluorescentes compactas e halógenas.

A portaria que determina o fim da produção de lâmpadas incandescentes é de 2010. O texto põe fim à fabricação de lâmpadas incandescentes de uso geral com potências de 150 e 200 Watts.

As lâmpadas incandescentes consumem mais energia e resultam numa conta mais cara para o consumidor. A intenção do governo brasileiro é incentivar o uso de lâmpadas fluorescentes compactas que podem gerar uma economia de 75% por mês.

Segundo o Procel – ProgramaNacional de Conservação de Energia Elétrica, se todas as lâmpadas incandescentes em uso no setor residencial brasileiro fossem substituídas por lâmpadas fluorescentes compactas, a economia seria de aproximadamente 5,5 bilhões de kWh por ano.

As lâmpadas incandescentes de maior potência devem sair do mercado até 31 de dezembro de 2012. Já as de menor potência, estarão fora de comercialização até o dia 30 de junho de 2017.

Leia Mais no SitedeCuriosidades.com




Por que os insetos são atraídos pelas lâmpadas?

Quem nunca se sentiu incomodado com insetos rondando uma lâmpada? Mas, vocês sabem por que isso acontece? Aqui, vamos tentar te explicar esse fato.

Os insetos são atraídos pela luz, mas não existe uma explicação científica que justifique esse fato com certeza absoluta. O que se sabe é que os insetos usam a luz para se orientar.

Os insetos voadores se sentem hipnotizados pela luz das lâmpadas artificiais. Este comportamento pode estar relacionado a uma confusão do sistema interno de navegação dos insetos.

Segundo pesquisadores, os insetos seguem um sistema chamado de orientação transversal, ou seja, eles voam num ângulo constante relacionado a uma fonte de luz. Quando eles encontram uma luz artificial, o ângulo de voo muda e os insetos ficam confusos.

Uma segunda teoria, do entomologista Philip Callahan, afirma que o espectro de luz infravermelho emitido pela luz tem a mesma frequência emitida pelos feromônios das mariposas fêmeas. Por isso, os insetos machos seriam atraídos pela luz artificial por um instinto natural de querer cruzar com a fêmea.

Levando em conta as dúvidas que os cientistas ainda têm sobre o assunto, podemos dizer que as respostas que tentam explicar o comportamento dos insetos em relação à luz são apenas hipóteses. Com certeza, os milhões de anos de evolução dessas espécies ainda não serviram para os tornarem espertos o suficiente para conseguir escapar da morte numa lâmpada artificial.

Leia Mais no SitedeCuriosidades.com